10 de outubro, 2016

UM HOMEM GENTIL

284367-d0p77mmnzce

Um homem gentil sempre terá espaço. Quer não quer a palavra macia de carinho e respeito?
É um sujeito, o bem-educado, atencioso a qualquer forma que tenha vida. Ele quer apenas somar, quer ouvir e, por mais discordâncias que haja, é dedicado a não ofender.
Um homem gentil não apenas abre a porta do carro para sua musa entrar: é um carinhoso com a família dela, fala pausadamente adjetivos sinceros, vê como o bem mais precioso do mundo os seres que geraram seu amor. Declara-se um bom moço quem respeita pai e mãe, sogro e sogra. É um admirador da história dela. Faz questão de ser benquisto na casa de entes queridos. Não tem receio algum em sair cumprimentado um por um, naquela festa de confraternização.
É voluntário, dedica tempo à resposta, pensa em como pode ajudar. Tem sempre no vocabulário “Muito obrigado!”, “Bom-dia!”, “Desculpe-me disso!”. É um homem, o gentil, que valoriza cada minuto com a amada como se o último fosse. É sensível, emotivo, e sabe que a maior virilidade está no amor fiel.
Homem assim está sempre pensando em surpresas agradáveis, em bilhetes e cartas perfumadas por devoção àquela mulher. Faz do momento íntimo o romance impensável a bons roteiristas. Acredita em sonho.
Mulheres nunca pedem demais. Elas querem ser tratadas como tratam o mundo, por isso veem sempre uma beleza a mais em quem prioriza o fino-trato, quem realmente demonstra consideração por um miocárdio alheio, em quem tem compromisso com promessas.
A gentileza, por si só, é uma poesia. E isso é bonito demais!

DIOGO ARRAIS
www.youtube.com/mesmapoesia – INSCREVA-SE

Compartilhe este texto
1 Comentário
06 de outubro, 2016

MOTIVOS PARA SE CASAR

tb_-mg-5845_13_128454

Estar sozinho jamais fará sentido. Eu vim, tu vieste, nós viemos para compartilhar um mundo de sentimentos com um outro alguém. Quem aprendeu as coisas da vida sozinho?
Corações abertos sobre o altar, lágrima fixa na lágrima do outro, convidados arrepiados e alianças que selarão um renascimento, uma nova família. Um casamento é um novo livro que tem ânsia para ser escrito.
O desejo matrimonial nada mais é do que um grito da alma:
– Queremos ser mais felizes, e precisamos compartilhar ganhos e perdas.
Ser casado é chegar em casa, com aquele sorriso estampado, por causa de uma promoção no trabalho, e ver que aquela pessoa amada também se emociona (talvez até mais que nós mesmos).
Ser casado é adormecer no sofá, sem coberta alguma, e – de repente – sentir uma mão carinhosa que nos acorda, dizendo:
– Meu bem, a cama está quentinha! Vamos?
Ser casado é pensar em equipe, é viver em equipe, é solucionar em equipe.
É jamais se sentir só, mesmo após aquela tempestade horrorosa que nos deixa com o sapato cheio de lama; mesmo após um terrível dia de infelizes coincidências.
Ser casado é conhecer domingos diferentes, é cumprimentar novos familiares, é ter filhos, é sentir que nossas espécies ainda terão muitas e muitas décadas para nos representar. Para representar nossos valores.
Há diversos motivos para juntar os lençóis (como diriam os nossos tios) -entender a tolerância, entender não terminar uma relação por motivo bobo, entender o aumento exponencial do substantivo compromisso.
Quando se casa, a sensualidade não é a única convidada VIP, porque o tempo passará e seremos mais atentos à ideologia de velhos amigos: o companheirismo. Ah! A beleza da admiração, mesmo enrugados, com olhos brilhando de paixão e honra em função de uma longa história.
É misturar nomes, entrelaçar espíritos, é pensar diuturnamente no outro (seja na compra do pãozinho quente pela manhã, seja de joelhos no momento da oração à noite).

DIOGO ARRAIS
www.youtube.com/mesmapoesia – INSCREVA-SE

Compartilhe este texto
0 Comentários
05 de outubro, 2016

COMPANHIA DOS SONHOS

back view of young couple holding hands walking in park

Qual é a companhia dos sonhos? É aquela que conseguirá suprir suas simplicidades. É uma pessoa como outra qualquer, mas com o poder de transformar momentos simples em histórias para sempre.
É aquela que cozinhará um prato qualquer, abrirá um vinho qualquer, escolherá um filme aleatório, e esse será um dos melhores dias da vida. Bem diferente daquela pessoa que tinha um baita carrão, que chegou a um finíssimo restaurante, que lhe presenteou com uma joia brilhante, que escolheu um prato exótico, e as coisas não tinham tanto gosto assim. Apesar da indiscutível elegância, quando não se sente alguém no sonho, nada flui.
Alguém dos sonhos não terá prazer em ressaltar defeitos, muito pelo contrário terá prazer em aceitá-los, sem ter que ficar escondendo diálogos sinceros debaixo do tapete. Porque gente assim sabe que, para alcançar um sonho, é preciso lutar (às vezes até consigo mesmo).
Para uma companhia dos sonhos, a conquista não é troféu em festa de música eletrônica; a conquista é diária, que vai desde o abraço ao anoitecer até o consolo em dias difíceis. Quem ama nunca deixa de ter prazer em conquistar, diferentemente de quem apenas curte.
Alguém dos sonhos planeja datas especiais, desenha um futuro seguro, trabalha para ver a segurança alheia, divide o que for preciso, passa confiança, cai de cabeça e coração, não humilha, nem joga, não fica apenas em WhatsApp. Além de tudo isso, opta por ser fiel. Ama a fundo.
Para uma companhia dos sonhos, não há risco em amar, mas sim risco em amar quem não quer amor. É alguém que sentirá tal raridade, mesmo que custe quase toda a sua existência na Terra. Afinal de contas, encontrar um ser único diante de 7 bilhões de outros seres no planeta será algo divino, e de quem até a Matemática sentirá inveja.

DIOGO ARRAIS
www.youtube.com/mesmapoesia – INSCREVA-SE!

Compartilhe este texto
0 Comentários