08 de novembro, 2016

Como desagradar aos homens maduros

0000000000a505

É início de relação. Você conheceu um homem maduro.
Nada aos homens maduros desagrada mais que a perguntinha: “Não vai mudar seu status do Facebook? Não estamos namorando?”
É incrível como vejo muitas mulheres compartilhando frases do tipo “Dê tempo ao tempo” ou “Tudo tem o seu tempo”, mas na vida real é uma ansiedade de que até elas duvidam.
Por que isso acontece? Porque ela se acostumou com o comportamento desonesto de outros, e nada pior que a mentira, a falsa esperança. Ela só quer as cartas à mesa. No entanto, é preciso refletir que nem todos os homens são iguais. Existe homem honesto, romântico e maduro sim. Sempre existirá.
E o sujeito que assim é correrá de ansiedades. Como a mulher madura, ele analisará muito a estrada que percorrerá. Gente que tem caráter pensa duas, três, quatro vezes e vivencia a frase “Tudo tem o seu tempo”. Não será de um mês para o outro.
Apesar disso, quando a hora chegar à cabeça de um homem maduro, prepare-se para um amor inigualável, gentileza, verdade, declaração, segurança, força, felicidade e disposição para tratá-la como a mulher merece – com a emoção daqueles momentos inesquecíveis da vida.
Quem não quer o contato, a palavra de um homem maduro e amigo, não é mesmo? Por isso, jamais se chateie com os inúmeros contatos dele no Facebook, WhatsApp ou Instagram. Não cobre que ele suma da vida “pública”, pois isso não ocorrerá. Afinal de contas, ele lutou muito para ter seu valor reconhecido no mundo.
Admire-o, e ele a admirará. Ame-o, e ele a amará. Ensine-o com paciência, e ele aprenderá.

P.s.: Ser humano maduro será cantado sempre (homem, gay, trans, bi, mulher, lésbica). E gente segura mostra a cantada para o outro, e cria daquilo mais um momento de excitação, descontração e confiança.

DIOGO ARRAIS
www.youtube.com/mesmapoesia

Compartilhe este texto
0 Comentários
07 de novembro, 2016

na estação do metrô

milano_metropolitana_romolo_treno

NA ESTAÇÃO DO METRÔ

– Tem Facebook?
– Não, não uso redes sociais.
– Qual seu whats?
– Também não tenho.
– Não gosta de tecnologia?
– Não é bem isso. Sou mais reservada.
– Gosta de quê?
– Hmmm… tenho que pensar, mas gosto do que é bom.
– Ah! Eu também.
– Vamos sair para jantar algum dia desses? Um restaurante japonês? Que tal?
– Não gosto da culinária japonesa. Além disso, estou quebrada.
– Mas eu pago a conta…
– Jamais. Penso que tudo tem que ser dividido.
– Bebe vinho?
– Prefiro uísque.
– Com energético?
– Jamais! Estraga a bebida. É caubói mesmo.
– Vamos lá para casa amanhã, então? Tenho um bar generoso.
– Não posso. Já tenho compromisso, nem iria a sua casa assim do nada.
– Não sabia que tinha namorado. Desculpa.
– Vou sair com minhas amigas.
– Posso chamar meus amigos também…
– Sabe o que é? Queremos sair sozinhas mesmo.
– Vejo que não está a fim…
– Como assim? Estou sempre a fim.
– Não. Não está. Você está me cortando.
– Quem disse?
– Posso te fazer uma pergunta?
– Faça.
– Você torce para qual time?
– Odeio futebol.
– Fala sério! Você não gosta de nada. Está me tirando.
– Eu? Não seria você?
– Tudo bem. Tenho que ir.
– Não quer mais o meu número? Podemos nos ver depois e…
– Estou com pressa. Até mais.

Não souberam o nome um do outro. Ele, irônico, já mira a próxima vítima do seu diálogo decorado de um manual de relacionamento, pirateado na internet.

DIOGO ARRAIS
www.youtube.com/mesmapoesia

Compartilhe este texto
0 Comentários
03 de novembro, 2016

Faz frio

31399

Um frio intenso na varanda faz
Café cheirando garoa preparo
Grito exumado gratidão
Jazz é minha tarde em casa

Comove plantas o esvair do sol
Buzinam cócegas as finas gotas
Riem apitos o guarda da esquina
Ronrona a antiga carta do vovô

Penso
Dores ensinam como colos de pai
Reflito
Frases são insanas estações

Grita o carteiro
Onde está o amor das coisas?

Coisifico plásticos e ironias
Amasso latas que humilham
Descalço tevês

Um frio intenso na varanda faz
Aqui jaz todo o sentido
e nada mais

DIOGO ARRAIS

Compartilhe este texto
0 Comentários
...10...1718192021...304050...